Betfair em Portugal para 2019? – Perspetivas para o Trading

A Betfair é uma casas de apostas desportivas mais reconhecidas mundialmente, muito procurada pela possibilidade de fazer trading com apostas – trading desportivo. Tinha uma forte presença em Portugal antes da reforma da regulação ao jogo online e ainda hoje muitos apostadores portugueses esperam ansiosamente por um possível regresso ao mercado nacional.

Seria necessário, para isto, a Betfair em obter uma licença de exploração de apostas desportivas portuguesa. Mas será que existe esse interesse?

A equipa do Aposta Legal esteve presente na conferência LiAC em Lisboa, cujo foco principal é o jogo online, onde tivémos a oportunidade exclusiva de conversar com representantes da Betfair sobre este tema. Infelizmente, as notícias não são positivas para os apostadores portugueses.

Betfair em Portugal

Segundo uma representante executiva em parcerias desportivas da Betfair, a marca conta com uma forte presença em vários países da Europa onde o volume de mercado é significativamente maior, tal como Espanha, França e Alemanha.

Como foco futuro, a Betfair sabe que a Escandinávia representa um forte mercado de apostas desportivas e, como tal, vê a Noruega como um próximo alvo de entrada na Europa.

Obstáculos para a Betfair

O obstáculo principal continua a ser a tributação feita sobre as apostas desportivas.

Os impostos cobrados às casas de apostas desportivas é feito ao volume de apostas feito, sem considerar o lucro efetivo que a casa de apostas online possa ter com estas.

Em comparação com os modelos de impostos praticados nestes outros países europeus, torna-se compreensível o desinteresse de marcas como a Betfair no mercado português.

O mais triste nisto?

Milhares de apostadores portugueses optam por apostar em casas de apostas sem licença nacional. Quem perde com isto é o estado, pois tais casas não pagam importos em Portugal – estamos a falar de valores milionários!

Seria de todo o interesse do estado português ir em frente com uma alteração ao modelo de taxas aplicado às casas de apostas portuguesas, para que estas pudessem apresentar serviços competitivos com o de outras casas ilegais.

Em Outubro de 2018, uma proposta preliminar do orçamento português para 2019 visionava alterações ao modelo de taxação ao jogo online, com esta a passar a ser aplicada sobre a receita bruta (gross gaming revenue) e com um taxação fixa de 25% para apostas online, tornando o enquadramento tributário mais atrativo tanto para as casas de apostas que já operam em Portugal, como para outras que pretendam vir a fazê-lo.

Mais tarde essa mesma proposta de orçamento foi, lamentavelmente, retirada.

Apostas cruzadas (trading) em Portugal?

Isto parece implicar que tão cedo não iremos ver a Betfair marcar presença em Portugal, nem sabemos quando volta, embora este seja o desejo de vários apostadores portugueses.

Ainda assim, outras casas de apostas como a Luckia, recentemente entraram no nosso mercado.

Este aumento de competição entre as casas de apostas desportivas no nosso país pode beneficiar indiretamente os apostadores, por exemplo, com a criação de bónus ou novos serviços e modalidades de apostas para atrair novos utilizadores.

4 comentários em “Betfair em Portugal para 2019? – Perspetivas para o Trading

  • Infelizmente tudo no nosso roda à volta de interesses e coisas tão simples como pequenas alterações na lei não vão adiante, hà muita gente de bolsos cheios, infelizmente os portugueses fazem poucas denúncias e a nossa judiciária não chega a todo o lado.

    Deviam criar uma lei para quem denunciar crimes económicos ficar com uma percentagem do valor que for recuperado.

  • O facto de não poder haver apostas cruzadas em Portugal é a prova de como os interesses instalados comandam este país e não o povo.
    Um jogador/cliente ter que estar sujeito a não poder negociar uma valor de uma aposta, sendo que risoriamente o valor terá que ser sempre superior ou igual a 1.2 € (abaixo disso não é permitido) e com o facto de estar a apostar contra quem gere o nosso dinheiro, podendo correr o risco de se nós começarmos a ganhar muito “cortam-nos as bases” é a prova de como somos “comidos” à força toda. Depois queixam-se da ilegalidade dos VPN’s e casas a operar ilegalmente terem grande força. Uma Vergonha

  • Subscrevo na integra todas as palavras do Calcio
    infelizmente esta situação realça a pouca vergonha instalada no mercado Português
    com gentalha sem vergonha

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *